• Procuradorias
  • PRT Porto Alegre
  • Recursos destinados pelo MPT-RS permitiram que entidades assistenciais da Região Metropolitana distribuíssem 86 toneladas de alimentos nos últimos meses de 2020

Recursos destinados pelo MPT-RS permitiram que entidades assistenciais da Região Metropolitana distribuíssem 86 toneladas de alimentos nos últimos meses de 2020

Ação, possível graças a recursos de dois inquéritos civis, beneficiaram famílias em situação de vulnerabilidade devido à pandemia de Covid-19 em Porto Alegre e cidades como Esteio, Nova Santa Rita e Canoas

     Com o auxílio de recursos destinados pelo Ministério Público do Trabalho-RS (MPT-RS, uma série de entidades sem fins lucrativos da Capital e da Região Metropolitana entregaram, no último trimestre de 2020, 86 toneladas de alimentos a famílias em situações de vulnerabilidade econômica agravada pela pandemia de Covid-19.  As ações foram tornadas possíveis pela destinação de valores oriundos da compensação de danos em duas ações judiciais de Termo de Ajustamento de Conduta movidas pelo MPT/RS. Os dois processos estão sob responsabilidade da procuradora do MPT-RS Márcia Medeiros de Farias.

     A destinação beneficiou as seguintes entidades:

     > Associação da Cultura Hip Hop de Esteio (ACHE) - Mais de 55,5 toneladas de alimentos foram doados a famílias da Região Metropolitana de Esteio e Porto Alegre. A casa também coordenou o repasse de cestas básicas do montante adquirido para outras 13 entidades da Região Metropolitana: Periferia Move o Mundo, Alvo Cultural, Iacoreq, Rap In Cena Associação dos Angolanos do Rio Grande do Sul, Galpão Cultural e Frente Quilombola RS, todas na Capital, além das associações 7º Setor (Canoas), Lot Pop (Nova Santa Rita), Comitê de Crise (Novo Hamburgo), Casa da Cultura Hip Hop de Sapucaia (Sapucaia do Sul) e Comitê de Crise da Feitoria e Aldeia Kaigangue (estas duas últimas, em São Leopoldo).

     > Centro Cultural Marli Medeiros – Distribuiu mais de 10 toneladas de alimentos em cestas básicas entregues na comunidade Bom Jesus, em Porto Alegre.

     > Maria Mulher Organização de Mulheres Negras - Recebeu mais de 11 toneladas de alimentos, distribuidos em cestas básicas. Também entregou 500 cestas básicas de gêneros para higiene. O material foi distribuído na Vila Cruzeiro, em Porto Alegre.

     > Igualdade - Associação de Travestis e Transexuais do Rio Grande do Sul - Repasse de 15 toneladas de alimentos que foram distribuídas em cestas básicas, preferencialmente para pessoas transexuais e travestis da grande Porto Alegre.

MARCA HISTÓRICA

     De acordo com o MC Rafael Diogo dos Santos, o Rafa Rafuagi, coordenador de autogestão e sustentabilidade da ACHE, que gerencia a Casa de Cultura Hip-Hop, com esta ação em parceria com o MPT-RS, a entidade ultrapassou nos últimos meses de 2020 a marca histórica de 50 toneladas de alimentos não perecíveis doados por meio do Programa Hip Hop Alimentação, o Banco de Alimentos das periferias. A distribuição é feita após cadastro prévio das famílias no programa, em atividade desde 2018. Inicialmente, a equipe da associação entregava as cestas nas vilas, mas, devido às alterações logísticas necessárias com a pandemia, as distribuições têm sido realizadas no Centro de Cultura Hip Hop, na Rua José Guimarães, nº 203.

     "O Programa hip hop alimentação foi criado em agosto de 2018. E de lá para cá, a gente conseguiu distribuir 75 toneladas e meia de alimentos. E 55 e meia foi só nesse período de pandemia. Graças a uma grande articulação da casa como entidade guarda-chuva, a gente conseguiu direcionar material para outras entidades, contemplando, cidades como Alvorada, Viamão, Nova Santa Rita e Osório. Isso só foi possível porque o Ministério Público do Trabalho vem sendo um grande parceiro da iniciativa desde o início, vários procuradores ao longo desse tempo abraçaram essa causa conosco", diz Rafa Rafuagi.

Tags: Dezembro

Imprimir