📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

MPT-RS se reúne com Ceasa para planejar regularização de movimentadores de carga

Expressivo número de carregadores ainda não são contratados como empregados ou trabalhadores avulsos, como exigido pela legislação

     O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul (MPT-RS) promoveu nesta quarta-feira (18) audiência com representantes das Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa/RS) e entidades sindicais que representam movimentadores de cargas no Estado. Denúncia aponta o descumprimento pela Ceasa do disposto na Lei 12.023/09, que estabelece que a atividade de movimentação de carga deve ser exercida através de contratação direta ou de trabalho avulso mediado pelo sindicato.

Próxima audiência acontece no dia 9 de junho
Próxima audiência acontece no dia 9 de junho

    De acordo com o levantado na audiência, a irregularidade atinge cerca de 400 movimentadores, que não têm o vínculo de emprego reconhecido nestes termos. Segundo a procuradora do Trabalho Patrícia de Mello Sanfelici, responsável pelo inquérito civil, estes trabalhadores também não podem ser admitidos como autônomos ou cooperativados. “O objetivo do inquérito é verificar as formas de contratação destes profissionais na Ceasa, e regularizar aquelas que estão em desacordo com a legislação”, explica ela. “Esperamos obter um cronograma factível para a que essa regularização se efetive”.

     Tanto o empregado quanto o trabalhador avulso são equiparados pela Constituição Federal, possuindo os mesmos direitos trabalhistas.No caso da movimentação de cargas no regime de trabalho avulso, a organização do trabalho, que inclui a definição das escalas, a divisão de valores e o recolhimento de encargos, ficam sob a responsabilidade do sindicato.

     A investigação foi iniciada a partir do projeto Carga Pesada, da Coordenadoria Nacional de Combate às Fraudes nas Relações de Emprego (Conafret), do MPT. Nova audiência deve acontecer em 9 de junho, quando a Associação dos Arrumadores da CEASA também deve participar.

     Além de representantes da Ceasa, participaram da audiência representantes do Sindicato dos Arrumadores de Porto Alegre; da Federação dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias em Geral do Estado (FETRAMMERGS); do Sindicato dos Movimentadores de Mercadorias de Blumenau e Região; do Sindicato dos Movimentadores de Mercadorias de São José/SC; da Delegacia Sindical da Ceasa-Minas; da Federação dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias de Goiás, Tocantins, Bahia e Distrito Federal; do Sindicato dos Movimentadores de Mercadorias de Canoas e Triunfo; do Sindicato dos Movimentadores de Mercadorias de Novo Hamburgo; e da Federação Nacional dos Técnicos Agrícolas.

Texto e foto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo: (51) 3220-8328
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MTPS/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3220-8327 | Móvel Claro (51) 9977-4286 com WhatsApp
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Maio

Imprimir