📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social

Infraero não responde a questionamentos sobre privatização do aeroporto Salgado Filho

MPT acompanha transferência ou cessão de cerca de 400 empregados do aeroporto, cujo futuro é incerto

     O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul (MPT-RS) realizou audiência de mediação entre a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e comissão de empregados lotados no aeroporto Salgado Filho, que deve ser privatizado junto com os aeroportos de Florianópolis, Salvador e Recife.

     O pedido de mediação partiu dos empregados, que afirmam não haver política transparente quanto a aproveitamento de pessoal dentro da Infraero. A empresa afirma que tem previsão de realocar empregados dos aeroportos licitados em até 6 meses após a assinatura do contrato com as empresas vencedoras e que conta com programa de incentivo ao desligamento, com requisito de 10 anos de empresa e idade mínima de 40 anos. A estimativa é que o trânsito desses servidores se dê em 3 meses.

     De acordo com a procuradora do Trabalho Márcia Bacher Medeiros, responsável pela mediação, a situação traz insegurança para os empregados e critica a prioridade dada até então pela empresa à demissão incentivada. “No momento em que a Infraero decide realizar a concessão de um aeroporto, transferindo a sua gestão para a iniciativa privada, ela tem de, antes de mais nada, definir onde vai alocar os seus empregados. O que acontece agora é o inverso”, explica.

    A previsão é de que o início da licitação aconteça em outubro, quando o edital deve ser publicado. A Infraero promete apenas para o fim do ano o mapa de vagas existentes em órgãos conveniados, como Anvisa, Polícia Federal e Ministério da Justiça, e em vias de serem conveniados, tais como Ibama, Polícia Rodoviária Federal e Instituto Chico Mendes, que poderiam absorver os empregados mediante cessão.

     Durante a mediação, foi concedido prazo para que a Infraero avaliasse pedidos dos empregados, especialmente o de inclusão de relotação em outros órgãos, em cargos com funções e remunerações compatíveis. A empresa não apresentou respostas conclusivas. Após negociação infrutífera com a Infraero, eles pedem a conversão da mediação em inquérito civil, que deve incluir também o Ministério dos Transportes, Portos e Aeroportos e o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Clique aqui para ver a participação da procuradora no programa Democracia, da TV Assembleia, que discutiu o tema.

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo: (51) 3220-8328

Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3220-8327 | Móvel Claro (51) 9977-4286 com WhatsApp
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Outubro

Imprimir