📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social
⚠️ Recomendação nº 3/2024: adoção de medidas de saúde e segurança do Trabalho em atividades de retomada

MPT ajuíza pedido de execução de sentença contra THB Serviços

Empresa de Cachoeirinha não pagou verbas rescisórias a seus empregados no prazo estabelecido em lei

     O Ministério Público do Trabalho (MPT) requereu à Justiça citação da ESD TH-B Soluções e Tecnologia de Serviços Ltda (THB Serviços) para que efetue o pagamento das verbas rescisórias a seus empregados no prazo estabelecido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O procurador do MPT Philippe Gomes Jardim informa que "o processo já transitou em julgado (não se pode mais recorrer), a empresa de Cachoeirinha já foi condenada em 1ª e 2ª instâncias para cumprir a obrigação". A ré deve, também, comprovar o cumprimento da obrigação, sob pena de multa diária de R$200 por trabalhador em relação ao qual se verificar a situação de descumprimento pelo período de 30 dias. Os valores da multa, em caso de aplicação, serão revertidos em favor de projetos sociais. O pedido de execução de sentença foi ajuizado na 1ª Vara do Trabalho de Cachoeirinha.

Entenda mais

     O MPT instaurou inquérito civil (IC) contra a THB Serviços, após recebimento de denúncia sobre não pagamento de verbas rescisórias a mais de 20 trabalhadores por ocasião da dispensa. A empresa reconheceu expressamente atraso no pagamento das verbas rescisórias. Apesar de ter manifestado interesse em assinar termo de ajuste de conduta (TAC), não o fez.

     Em 20 de dezembro de 2016, o MPT ajuizou ação civil pública (ACP) contra a empresa. Em 4 de agosto de 2017, a Juíza do Trabalho Patrícia Zeilmann Costa julgou procedente o pedido formulado pelo MPT e condenou a ré a efetuar pagamento das verbas rescisórias a seus empregados no prazo estabelecido no § 6º do artigo 477 da CLT.

     A THB interpôs recurso ordinário (RO) no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS), postulando reforma da decisão. Entretanto, em 13 de dezembro de 2017, acórdão da 3ª Turma negou, por unanimidade, provimento ao recurso da reclamada e manteve a sentença proferida em 1º grau. Participaram do julgamento os desembargadores Ricardo Carvalho Fraga (relator), Gilberto Souza dos Santos e Marcos Fagundes Salomão.

Clique aqui para acessar à sentença de 4/8/2017.

Clique aqui para acessar ao acórdão de 13/12/2017.

Texto: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3284-3097 | Móvel Claro (51) 99977-4286 com WhatsApp
prt04.ascom@mpt.mp.br | www.facebook.com/mptnors | https://twitter.com/mpt_rs

Tags: Março

Imprimir