📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social
⚠️ Recomendação nº 3/2024: adoção de medidas de saúde e segurança do Trabalho em atividades de retomada

MPT em Santo Ângelo obtém pagamento de multa rescisória de 88 empregados da Camera Agroalimentos

Empresa praticou lide simulada para parcelar valores; MPT interveio através de termo de ajuste de conduta

     O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Santo Ângelo obteve o pagamento de multas rescisórias de 88 empregados da Camera Agroalimentos, de Santa Rosa. A empresa totaliza R$ 169 mil devidos em multas por atraso no pagamento de valores da demissão. O valor será pago pela empresa diretamente nas contas bancárias dos empregados prejudicados a partir de outubro, em 11 parcelas. A Camera deve priorizar o pagamento de empregados que não foram recontratados e que não possuam vínculo de emprego ativo.

     A obrigação foi assumida pela empresa em termo de ajuste de conduta (TAC), proposto pela procuradora do Trabalho Priscila Dibi Schvarcz. O MPT investigou uso indevido de ações trabalhistas para o parcelamento ilegal das verbas rescisórias, caracterizando lide simulada. “Muitos empregados sequer tinham ciência de que haviam ajuizado Reclamações Trabalhistas, acreditando que as procurações outorgadas a advogados eram ‘papéis necessários ao encaminhamento de seguro-desemprego’”, explica ela.

     Além disso, a empresa efetuou o pagamento parcelado de verbas rescisórias de forma extrajudicial, com intervenção de sindicatos profissionais, não tendo, contudo, incluído no pagamento a multa prevista para estes casos, equivalente a um mês do salário do empregado. A investigação aponta 88 trabalhadores prejudicados com a prática, totalizando uma inadimplência de R$ 169.001,77. A reincidência da empresa na prática sujeita a Camera a multas R$ 10 mil, mais R$ 1 mil por trabalhador prejudicado.

Clique aqui para acessar o TAC

Leia mais:

12/5/2016 - Destinações do MPT em Santo Ângelo viabilizam projetos de seis entidades beneficentes de Três de Maio e Santa Rosa

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Fixo: (51) 3220-8328
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3220-8327 | Móvel Claro (51) 9977-4286 com WhatsApp
prt4.ascom@mpt.mp.br | facebook.com/MPTnoRS | twitter.com/mpt_rs

Tags: Agosto

Imprimir