📅 Atenção! Devido ao estado de calamidade pública, os prazos nos procedimentos do MPT-RS que vencerem neste período ficam prorrogados até 6/6, com exceção dos casos urgentes, relativos à calamidade pública, e os declarados pelo(a) membro(a) oficiante. Ademais, faculta-se ao(à) membro(a) oficiante a realização de audiências na modalidade telepresencial.


☎️ O atendimento ao público segue pelos canais online e, no horário de expediente, pelos seguintes telefones:

PRT Porto Alegre (51) 3252-1500
PTM Caxias do Sul (54) 3201-6000
PTM Novo Hamburgo (51) 3553-7250
PTM Passo Fundo (54) 3316-4300
PTM Pelotas (53) 3310-7700
PTM Santa Cruz do Sul (51) 3740-2550
PTM Santa Maria (55) 3174-1200
PTM Santo Ângelo (55) 3931-3300
PTM Uruguaiana (55) 3414-4800

⚠️ Recomendação nº 1/2024: emissão gratuita de atestados de exposição a enchentes
⚠️ Recomendação nº 2/2024: adoção de medidas trabalhistas alternativas e diálogo social
⚠️ Recomendação nº 3/2024: adoção de medidas de saúde e segurança do Trabalho em atividades de retomada

Mediações judiciais: semana de 25 a 29/5

Veja o resumo das principais reuniões que buscam solucionar conflitos entre empregadores e empregados realizadas na última semana: Corsan, CRM, Governo do Estado e Grupo Hospitalar Conceição

      O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul (MPT-RS) segue participando de mediações judiciais entre empregadores e empregados, em busca de soluções consensuais para conflitos durante a pandemia de coronavírus. As audiências são realizadas pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT4).

     Em 25/5, foi realizada a primeira audiência de mediação entre o Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS (Semapi), o Sindicato dos Engenheiros no Estado do RS (Senge) e o governo do Estado do Rio Grande do Sul, visando um acordo quanto aos termos do protocolo de enfrentamento à pandemia. A proposta do mediador foi para que os sindicatos se manifestem em relação à planilha apresentada pelo Estado, indicando expressamente eventuais divergências, no prazo de 48h. As normas coletivas em vigor permanecem válidas até 30/6, data estabelecida como limite para a negociação, cuja data-base das categorias continua sendo 1º /6. Também participaram da videoconferência a Fundação de Proteção Especial do Rio Grande do Sul (FPE); Fundação de Atendimento Sócio-Educativo do Rio Grande do Sul (Fase); Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (Faders); Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS); Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam); Empresa Gaúcha de Rodovias S.A.; Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs); Fundação Theatro São Pedro; Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) e Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural (Ascar).

     Em 26/5, prosseguiu a tentativa de acordo coletivo entre a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e sindicatos profissionais. O mediador definiu o prazo de 48 horas para a empresa apresentar proposta detalhada do sistema de compensação de horas e fundamentação dos pedidos. Após, os requeridos Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Rio Grande do Sul (Sintec-RS), Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgoto do Estado do Rio Grande do Sul (Sindiágua) e Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio Grande do Sul (Senge-RS) poderão se manifestar no mesmo prazo. Nova reunião acontece em 4/6.

        Em 28/5, foi encerrada a tentativa de mediação entre o Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) de Porto Alegre e o Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul (Sindacs). Após consulta, a categoria rejeitou a proposta de acordo ajustada na última reunião. O Desembargador Francisco Rossal de Araújo registrou “o elevado nível de debate, a urbanidade das partes e o espírito de colaboração”. Também participaram da reunião representantes da Associação dos Agentes Comunitários de Saúde de Porto Alegre, da Secretaria Municipal da Saúde e do Ministério Público de Contas. Pelo MPT, colaboraram os procuradores do MPT Carlos Carneiro Esteves Neto e Gilson Luiz Laydner de Azevedo.

     Também em 28/5, houve audiência de mediação entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Extração e Beneficiamento de Minerais de Candiota. Foi apresentada proposta de solução, que será analisada pelas partes até a próxima audiência. Entre os pontos estão o reajuste salarial e a prorrogação das normas coletivas até 15/6. Também participaram representantes do Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração de Carvão, Ouro, Calcário, Cal e Barro da Região Centro-Sul do Estado do Rio Grande do Sul, do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio Grande do Sul (Senge), do Grupo de Assessoramento Estadual para Política de Pessoal (GAE), e da Procuradoria-Geral do Estado. Nova audiência deve acontecer em 8/6.

     Em 29/5, houve acordo entre trabalhadores da Saúde e o Grupo Hospitalar Conceição (GHC) de Porto Alegre. Aderindo à proposta do mediador, será instituído grupo de trabalho, composto por cinco trabalhadores (um de cada sindicato autor e um da associação profissional) e dois representantes do Grupo Hospitalar, para tratar especificamente das situações decorrentes da pandemia de Covid-19. Por fim, foi determinado que o GHC preste uma série de informações relativas aos profissionais que integram o grupo de risco para a doença até 10/6. Participaram da audiência o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnicos, Duchistas, Massagistas e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul (Sindisaúde-RS), a Associação dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceição (ASERGHC), o Sindicato dos Enfermeiros no Estado do Rio Grande do Sul (Sergs), o Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho do RS (Sinditest/RS) e o Sindicato dos Farmacêuticos no Estado do Rio Grande do Sul (Sindifars). Pelo MPT, participaram o procurador regional do MPT Paulo Joarês Vieira e o procurador do MPT Noedi Rodrigues da Silva. Nova reunião acontece em 15/6.

      Nas mediações, o MPT é representado pelos procuradores regionais da Divisão de Dissídios Coletivos, Beatriz de Holleben Junqueira Fialho Paulo Eduardo Pinto de Queiroz e pelos procuradores responsáveis por casos específicos. As audiências são conduzidas pelo vice-presidente do TRT-RS, desembargador Francisco Rossal de Araújo.

Leia mais

26/5/2020 - Mediações judiciais: semana de 18 a 22/5
20/5/2020 - Mediações judiciais: semana de 11 a 15/5
15/5/2020 - Mediações judiciais: semana de 4 a 8/5
8/5/2020 - Veja o resumo das mediações judiciais da última semana
28/4/2020 - Coronavírus: Mediações buscam acordos para categorias profissionais e grandes empresas
20/4/2020 - Coronavírus: TRT e MPT medeiam dezenas de negociações desde o início da pandemia

Texto: Luis Nakajo (analista de Comunicação)
Supervisão: Flávio Wornicov Portela (reg. prof. MT/RS 6132)
Fixo Oi (51) 3284-3086 | Móvel Claro (51) 99977-4286 com WhatsApp | prt04.ascom@mpt.mp.br
www.facebook.com/mptnors | https://twitter.com/mpt_rs | www.instagram.com/mpt.rs

Tags: Junho

Imprimir